ESCOLA SEM PARTIDO

O projeto de lei PL 867/2015 que busca instituir a “Escola Sem Partido” foi debatido em uma comissão especial da Câmara dos Deputados. O texto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para evitar que professores manifestem posicionamentos políticos, ideológicos ou partidários. O projeto também ressalta que educação sexual, moral e religiosa devem ficar a cargo da família, não das escolas.

O deputado Flavinho (PSC-SP) criticou, em seu parecer, a ideologia de gênero: “Procura-se impor às crianças e adolescentes uma educação sexual que visa descontruir a heteronormatividade e o conceito de família tradicional em prol do pluralismo e diversidade de gênero”. Caso a lei seja aprovada, entrará em vigor em dois anos.

Fonte : Camara dos Deputados .
Brasilia , 08 de Maio de 2018